Ordem Illuminati

S i t e O f i c i a l

Homem superior diante das decisões coletivas

“Porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração”. Mateus 6:21

Nossas escolhas são nossas vidas. Temos responsabilidades por elas. E toda escolha coletiva de um povo é respeitada pelas leis do Universo, que cede aos desejos dessa maioria, por pior que sejam as consequências. Assim, muitos povos se dedicam a ganância e rapinagem, outros ao trabalho árduo, outros ao servilismo simples e fácil, e até os povos adeptos das guerras. Isso se soma, as próprias políticas internas, que atuam no acorrentamento das populações.

E todos nós sofremos pelos lastimáveis posicionamentos e escolhas de populações e seus líderes, que por poder ou maioria persistente, influenciam as leis e as formas de governos, e até como o Estado é gerido e seus recursos utilizados. Todos temos nossos posicionamentos políticos e éticos, é natural, e analisamos as políticas do “pão e circo”, tanto quanto das mordomias dos altos escalões, enquanto há miséria para outros…

E tudo tem resposta, já que o equilíbrio é uma lei universal. E também há resposta aos justiceiros sociais, das ideologias socialistas, coletivistas, comunistas, que acham que na repartição de bens esta a felicidade, e nas libertárias e até anarquistas, que acham que a falta da autoridade e regulamentação é a solução. Assim somos tentados a adotar idéias materialistas, que fogem do nosso propósito iluminador. E para esses destacamos alguns textos bíblicos, que podem ser aplicados integralmente, sob a ótica da razão e da interpretação ampla:

(Lucas 12:13-15)
“Mestre, ordena a meu irmão que reparta comigo a herança”
“Homem, quem me constituiu juiz ou partidor entre vós?”
“Tende cuidado e guardai-vos de toda e qualquer avareza; porque a vida de um homem não consiste na abundância dos bens que ele possui”

(Lucas 20:22)
“É lícito pagar o tributo a César, ou não?”
“De quem é esta efígie e esta inscrição?”
“De César”
“Dai pois a César o que é de César”

(1 Samuel 8)
“…constitui- nos, pois, agora, um rei sobre nós, para que nos governe…”

“Agora, pois, atende à sua voz do povo, porém adverte-o solenemente e explica- lhe qual será o direito do rei que houver de reinar sobre ele. Referiu Samuel todas as palavras do SENHOR ao povo, que lhe pedia um rei, e disse: Este será o direito do rei que houver de reinar sobre vós: ele tomará os vossos filhos e os empregará no serviço dos seus carros e como seus cavaleiros, para que corram adiante deles; e os porá uns por capitães de mil e capitães de cinqüenta; outros para lavrarem os seus campos e ceifarem as suas messes; e outros para fabricarem suas armas de guerra e o aparelhamento de seus carros. Tomará as vossas filhas para perfumistas, cozinheiras e padeiras. Tomará o melhor das vossas lavouras, e das vossas vinhas, e dos vossos olivais e o dará aos seus servidores. As vossas sementeiras e as vossas vinhas tomará a décima parte, para dar aos seus oficiais e aos seus servidores. Também tomará os vossos servos, e as vossas servas, e os vossos melhores jovens, e os vossos jumentos e os empregará no seu trabalho. Pegará a décima parte do vosso rebanho, e vós lhe sereis por servos. Então, naquele dia, clamareis por causa do vosso rei que houverdes escolhido; mas o SENHOR não vos ouvirá naquele dia. Porém o povo não atendeu à voz de Samuel e disse: Não! Mas teremos um rei sobre nós. Para que sejamos também como todas as nações; o nosso rei poderá governar-nos, sair adiante de nós e fazer as nossas guerras.”

O homem escravizou a si mesmo passando a responsabilidade adiante, para outrem. Por isso a redenção desse mesmo homem, se dará com a decisão intransferível de crescer, ter autonomia e independência, agindo como autêntico buscador da Luz, tal como dizia Adam Weishaupt: “Quando há iluminação e segurança os príncipes são supérfluos”

Citando ainda textos bíblicos que afirmam essa redenção:

“Não sabeis vós que sois o templo de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós?” (1 Coríntios 3:16)

“Eu disse: Vós sois deuses, e todos vós filhos do Altíssimo. (Salmos 82:6)

“Porque todos vós sois filhos da luz e filhos do dia” (1 Tessalonicenses 5:5)

Ao homem superior, se incomoda a submissão, tudo passa a ser um legítimo exercício de paciência e humildade, ficar submetido a tantas regras, leis e vigilâncias. E, para a maioria onde impera a lei da chibata, ainda que alguns isso lhes agrade, resta que se conscientizem para que o poder de fora se reduza, lentamente, através do aprimoramento constante:

“Vós sois a luz do mundo”
(Mateus 5:14)