Ciclos do sistema: a teia rompida

Desde os primórdios, novas tecnologias e conhecimentos vem sendo empregadas pelos tiranos e “controladores” para espoliar e manipular as populações, exercendo um domínio sobre povos inteiros. Seja para deixa-los completamente na ignorância ou afunda-los em algum paraíso prisão, fica fácil quando as táticas de dominação evoluem. A espada para uns, mentira para tantos e ilusão para outros, dependendo da situação e tempo.
E não. Não pense que esses controladores querem acabar com o crime, a baderna e o erro. E que seu objetivo seja acabar com os corruptos ou ilegalidades, ou trazer qualquer espécie de justiça social. O objetivo deles, sempre foi outro, que aqui, ficara evidente para o atento.

Não teremos nunca como perscrutar os meandros dessas tiranias sem entender a psicologia das massas e os meios que utilizam de controla-las.

Ora, como falado anteriormente, o alvo desses governantes não é senão exercer o comando sobre os mais capazes e espoliar os produtivos. Os improdutivos e os que se alinham com “facilidades” acabam simplesmente aderindo ao sistema controlador. A maioria é marionete e repete o senso comum e as ideias em voga.

Anteriormente, se o controle era pela espada, agora é bem mais sutil. De alguma maneira, o mais inteligente pode ser enganado e se tornar o mais leal servidor desse sistema de controle.

Precisamos entender a autoridade do legado do conhecimento:

“A atividade é mãe da prosperidade”

Cessando a atividade, o que sobra é a pobreza. Povos submetidos a ideologias criminosas que fazem seus países virarem estados prisões acabam na miséria. Falsas premissas, como temos visto, douradas com o cientificismo, fazem com que pessoas decentes e saudáveis se engaiolem em suas próprias casas, amedrontadas e esperando o pior. E, quando os pensadores diziam que a melhor prisão seria aquela que “as pessoas amariam os ferros de suas próprias grades e defenderiam publicamente suas gaiolas” isso soava como algo inacreditável. Porém o ser humano pode descer muito na escala intelectual quando está com medo ou iludido. E o “auto aprisionamento” realmente aconteceu…

Nada ameaça tanto a humanidade quando temos tantos defendendo regimes ideológicos e as “ditaduras sanitárias”. É mesmo o pesadelo que virou realidade. E lamentável, e toda essa forma de auto escravização. Mas servirá, certamente, para que as pessoas se tornem mais resistentes as investidas de mentiras propagadas por politiqueiros e pelas mídias convencionais.

Conhecer a noite foi preciso para valorizar a luz, convivência e liberdade.

Parte II

Transformemos porém, a pedra bruta na lapidada, sabendo que a natureza opera com sabedoria.

E além todo mal, para quem soube ou teve de aproveitar, resultou em um bem:

– O contato consigo mesmo, mais estudo e leituras;

– Pais tendo de conviver com os filhos, conhecendo melhor quem são;

– Valorização da liberdade;

– Valorização do trabalho

– Valorização da escola;

– Valorização da convivência social saudável;

– Novos hábitos na saúde;

– Burocracias diminuíram com as facilidades obtidas on line;

Períodos escuros anunciam para logo novas luzes. Atividade nunca para e as aguas retidas procuram sempre novos caminhos.