Ideologias, superstições e crendices

Nos tempos antigos homens acreditavam que sacrifícios humanos agradavam os deuses, e milhares foram mortos por isso.

Na idade média insanos, médiuns, curandeiros, foram queimados vivos por acreditarem que estes tinham contato com demônios, acusando-os de bruxaria e feitiçaria.

Nos tempos modernos, a fim de igualar a tudo e todos, diversos monstros em nome de ideologias criminosas exterminaram milhões, manchando de vermelho o solo de nações.

Superstições, crendices e ideologias oriundas de invenções de mentes humanas, foram de consequência as mais desastrosas possíveis.

“Homem tem dominado sobre homem para seu prejuízo” – Eclesiastes.

Quando um grupo ou uma ideologia se arvora acima de outros, o resultado é o sofrimento.

Uma mentalidade arejada e iluminada jamais aceitará a escravidão de idéias e estar submetido a uma ideologia. A astúcia pode armar esquemas de combate, porque os homens baixos costumam ser mesquinhos. A habilidade de muitos intelectuais, prepotentes, de usarem as leis que lhes convém, esquecendo outras que podem lhes alcançar, é imensa. É o uso seletivo de dons distorcidos, atacando mediante expedientes de perturbação, sofismas e retóricas inúteis.

Sejamos porém fortes. Os vendavais tem o objetivo de tornar resistentes as plantas. A luta e constantes movimentos são um convite à uma edificação permanente. Rudes embates garantem fortes alicerces à sociedade.

A revolução estrutural, a limpeza de ideologias e de conteúdo que ora presenciamos no mundo, é a necessidade de agora para uma futura governança firme, livre e decidida, que poderá resistir às conjunturas de todos os tempos difíceis.