Ordem Illuminati

S i t e O f i c i a l

Qual religião é verdadeira?

As religiões nos dão muitas certezas. Mas qual seria a religião verdadeira? Existe religião verdadeira ? Analisaremos nesse artigo o poder de influência das religiões no mundo, suas fé’s e crenças.

***

Há regras.
Há princípios de amordaçamento e criação de poder. O poder sem espiritualidade precisa compartimentar a sociedade, alienando-a de seu poder interior e dos verdadeiros conhecimentos. Se evita a todo custo que o ser “descubra que tem asas” e seu imenso poder permanece desconhecido.

E as religiões em geral tem as mesmas características, sem as quais não conseguem fazer grandes movimentos de massa. Nessas crenças, muitas se encaixam perfeitamente, outras tem mais suavidade na hora de impor princípios e preceitos, e outras, escondem mesmo suas arquiteturas internas de alienação e domínio. Tal como o famigerado “bem comum” da política, o “senso comum” das religiões não passará despercebido dos estudiosos.

Princípio 1: MESMO DEUS
A maioria das religiões tentará ignorar que tem o mesmo Deus. E dará nomes próprios para o que considera O verdadeiro. Muitas farão um Deus especial para si mesmas, com o intuito de seletivizar. A criação de nomes de Deus, muitas vezes atribuindo-Lhe caráter ou comportamentos acaba por criar divisão e alienação.

Princípio 2: REENCARNAÇÃO
Também muito ignorada, essa crença derruba o poder das elites religiosas, que tratam os homens como um ser pecaminoso e sujeito ao inferno eterno. Na Reencarnação o ser humano é visto como um espirito em ascensão, destinado a perfeição, por várias etapas de vida, mesmo fora da Terra.

Princípio 3: VIDA ALIENÍGENA
Um dos mais difíceis de aceitar por parte das religiões, porque trata diretamente da vaidade, orgulho e fundamentos do poder terrestre. Derruba a autoridade dos “príncipes religiosos” e mesmo das “autoridades terrenas”, que se acham “supremas”.

Princípio 4: TEMPLO INTERIOR
Mesmo que a fé para muitas seja primordial, nunca são definidos pontos principais que informam ao fiel que seu poder está no seu interior, com o contato com a luz/Deus. Até se evita por regras e sempre há necessidade de um “intermediário” entre o fiel e Deus. Para as religiões, o Templo exterior ou Templo de culto torna-se o fator da união com seus fiéis e da demostração de poder. E demostração de poder pessoal de alguns personagens. Como sabemos não é esse o real objetivo da religião; adorar a Deus e cultivar a espiritualidade é questão interna, sem necessidade de Templos. É certo que o aconchego, a amizade, o calor humano, sábios para dar conselhos, transmitir conhecimentos, ainda são fatores necessários até uma completa iluminação interior. O problema começa quando o fiel transmite sua responsabilidade de crescimento para o templo ou ao líder religioso.

Conclusão

Os profetas e grandes guias da humanidade tiveram a intenção de libertar o homem, diferente dos que vieram depois para dar prosseguimento aos seus movimentos. O verdadeiro conhecimento liberta. A verdadeira religião é aquela que mais se aproxima da Liberdade Pessoal para evoluir e não nega conhecimentos. Nesses tempos sombrios mais se procura o aconchego das religiões, e isso a nosso ver é positivo, por mais que algumas abusem dos seus fiéis, ainda a maioria merece a graça da presença da Luz.